Agilidade: o Novo Paradigma da Gestão

agile-leadership
Computação Gráfica e Multimédia / Informação e Sistemas Empresariais

Agilidade: o Novo Paradigma da Gestão

Co-Autores: Margarida Gonçalves e Rita Marques

O cada vez mais rápido desenvolvimento das novas tecnologias da informação levou a que cada vez mais organizações tenham iniciado uma transformação digital.

Estas iniciativas não se devem focar apenas na adoção de novas tecnologias (o que continua a acontecer frequentemente) mas principalmente na alteração da maneira de trabalhar das organizações (baseada em processos) quer seja na relação com o cliente, nas operações internas, ou mesmo no modelo de negócio.

Mas no ambiente empresarial dinâmico em que vivemos, não é suficiente continuar a usar modelos de liderança tradicional. Estas mudanças profundas devem ser sempre acompanhadas por uma liderança forte e eficaz. Hoje em dia as empresas precisam de líderes ágeis. 

 

Agilidade na Informática

Agilidade é um princípio que se baseia em quatro valores centrais:

  • Indivíduos e as suas iterações – mais que processos e ferramentas
  • Software funcional – mais que documentação compreensiva
  • Colaboração com o cliente – mais que negociação de contratos
  • Responder à mudança – mais que seguir um plano

No entanto, agilidade não significa o abandono dos processos e da documentação. Significa sim que os valores ágeis devem ter primazia sobre os valores da liderança tradicional.

Por exemplo, as organizações ágeis devem focar-se nas necessidades dos clientes. Para atingir esse objectivo as equipas devem trabalhar em iterações curtas e entregar frequentemente software funcional aos clientes, com quem devem comunicar regularmente sobre o alinhamento do produto com as suas necessidades. 

A agilidade permite assim às equipas reagir à mudança rapidamente e portanto adaptar-se a situações que não estavam inicialmente previstas. 

Face à gestão tradicional de projetos, a gestão ágil é mais flexível e responde melhor à mudança, uma vez que as equipas têm mais autonomia e poder para tomar decisões no dia-a-dia. As equipas ficam mais motivadas, o desenvolvimento é mais rápido e melhor, e assim a empresa entrega serviços com mais valor que deixam os clientes mais satisfeitos.

De acordo com o relatório CHAOS do Standish Group em 2018, os projetos geridos de forma ágil têm mais 60% de probabilidade de serem bem sucedidos do que projetos geridos de forma tradicional.

Com tanta evidência positiva, não é de admirar que a agilidade no desenvolvimento de software esteja a ser cada vez mais adotada. Mas também o resto da organização pode (e deve) tirar partido de uma gestão mais ágil porque, apesar de ter sido inicialmente concebida para o desenvolvimento de software, a agilidade tem sido cada vez mais aplicada noutras áreas – até mesmo na produtividade pessoal.

 

Líderes ágeis

Uma gestão ágil exige líderes ágeis que têm uma atitude bastante diferente dos líderes a que estamos habituados nas empresas tradicionais.

Um líder ágil não cria uma lista de tarefas a cumprir, nem diz às pessoas o que devem fazer. Em vez disso, um líder ágil define uma estratégia e confia nas equipas para fazerem o seu trabalho. 

Um líder ágil está disponível para ouvir as pessoas e remover obstáculos. Um líder ágil deve ajudar a sua equipa a tornar-se autónoma, e saber reagir rapidamente à mudança. Para isso, tem de existir uma descentralização do poder de decisão e das responsabilidades a todos os níveis, e não apenas nas camadas mais altas de gestão.

 

Lider TradicionalLider Ágil
Exerce gestão top-downExerce gestão bottom-up
Dá orientações às equipasEstá ao serviço das equipas
Controla as equipasAcompanha as equipas
Toma todas as decisõesConfia e dá autonomia às equipas para tomar decisões
Foca-se no processoFoca-se nos resultados

 

A liderança ágil revelou-se essencial nestes tempos de pandemia. De repente fomos forçados a abandonar os espaços físicos, incluindo as reuniões presenciais tão importantes na gestão das empresas tradicionais. As organizações precisaram ser ágeis para reagir à mudança adotando novos métodos de trabalho. 

Para ajudar as empresas e os gestores neste momento desafiante das nossas vidas, criámos em tempo recorde e já oferecemos a primeira edição do MOOC (curso online) AgileX baseado no manual IPMA Reference Guide ICB4 in an Agile World que teve cerca de 1,500 inscritos.

E para todos aqueles que querem aprender mais e melhor sobre agilidade na gestão decidimos criar e oferecer (através do Técnico+) a primeira edição do Curso de Especialização em Agile Leadership baseado neste MOOC, mas com sessões ao vivo, casos de estudo, convidados empresariais, e outras surpresas.

 

Conclusão

A agilidade na gestão é a melhor forma de lidar com as mudanças profundas causadas pela transformação digital. As organizações precisam de líderes ágeis que percebam que a transformação digital não é apenas implementar uma nova tecnologia. A transformação digital exige mudanças na maneira de trabalhar, o que naturalmente tem impacto nas equipas.

Estes tempos desafiantes podem ser uma grande oportunidade para os líderes (actuais e futuros) adquirirem competências em agilidade, e estabelecerem uma rede de contactos com outros líderes ágeis. Por muitos livros e cursos online que existam sobre agilidade, a troca de conhecimentos e experiências é essencial.